domingo, dezembro 23, 2012

Enigma: quem sobrevive e quem morre?


Deixarei um pequeno enigma:

"Numa sala estão sentados três grandes homens, um rei, um sacerdote e um homem rico com seu ouro. Entre eles está um mercenário, um homem pequeno, de nascimento comum e sem grande inteligência. Cada um dos grandes pede a ele para matar os outros dois. 'Faça isso', diz o rei, 'pois eu sou seu governante por direito'. 'Faça isso', diz o sacerdote, 'pois estou ordenando em nome dos deuses'. 'Faça isso', diz o rico, 'e todo esse ouro será seu'. Agora diga-me: Quem sobrevive e quem morre?"
(George R.R. Martin)

segunda-feira, dezembro 17, 2012

Uma música sobre amar...


Certo dia eu escutei essa música e não consegui mais tirar ela da cabeça. Acho uma declaração de amor verdadeira, pois quando amamos alguém nosso coração bate por essa pessoa, respiramos por essa pessoa e não conseguimos para de pensar nela. É assim que eu vejo.

As vezes pensamos em fazer algo para nós e quando vemos estamos fazendo para pessoa que amamos. Abrimos mão de desejos e sonhos para sonhar com essa pessoa e apoiá-las na conquista de suas metas. A gente passa a pensar primeiro na pessoa que amamos e nos passamos a ver como nossa própria segunda opção. Claro que essa recíproca deve ser verdadeira, devemos valorizar quem nos valoriza e quando isso acontece... ahhh... podemos jurar que a ment vai nos guiar, mas é o coração quem desenha o mapa.

Monomania
Clarice Falcão


Já te fiz muita canção
São quatro, ou cinco, ou seis, ou mais
Eu sei demais
Que tá demais

Eu chego com um violão
Você só tá querendo paz
Você desvia pra cozinha
E eu vou cantando atrás

Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
E agora é

Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você

Se juntar cada verso meu
E comparar
Vai dar pra ver
Tem mais você que nota dó
Eu vou ter que me controlar
Se um dia eu quero enriquecer
Quem vai comprar esse cd
Sobre uma pessoa só?

Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
E agora é

Hoje eu falei
Pra mim
Jurei até
Que essa não seria pra você
E agora é

sexta-feira, dezembro 14, 2012

O PONTO NEGRO

Certo dia, um professor chegou na sala de aula e disse aos alunos para se prepararem para uma prova-relâmpago.
Todos acertaram suas filas, aguardando assustados o teste que viria.
O professor foi entregando, então, a folha da prova com a parte do texto virada para baixo, como era de costume.
Depois que todos receberam, pediu que desvirassem a folha.
Para surpresa de todos, não havia uma só pergunta ou texto, apenas um ponto negro, no meio da folha.
O professor, analisando a expressão de surpresa que todos faziam, disse o seguinte:

- Agora, vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo.

Todos os alunos, confusos, começaram, então, a difícil e quase inexplicável tarefa.
Terminado o tempo, o mestre recolheu as folhas, colocou-se na frente da turma e começou a ler as redações em voz alta.
Todas, sem exceção, definiram o ponto negro, tentando dar explicações por sua presença no centro da folha.
Terminada a leitura, a sala em silêncio, o professor então começou a explicar:

- Esse teste não será para nota, apenas serve de lição para todos nós.
Ninguém na sala falou sobre a folha em branco.
Todos centralizaram suas atenções no ponto negro. Assim acontece em nossas vida. Temos uma folha em branco inteira para observar e aproveitar, mas sempre nos centralizamos nos pontos negros. A vida é um presente dado a cada um de nós, com extremo carinho e cuidado. 
Temos motivos para comemorar sempre. A natureza que se renova, os amigos que se fazem presentes, o emprego que nos dá o sustento, os milagres que diariamente presenciamos. No entanto, insistimos em olhar apenas para o ponto negro!
O problema de saúde que nos preocupa, a falta de dinheiro, o relacionamento difícil com um familiar, a decepção com um amigo.
Os pontos negros são mínimos em comparação com tudo aquilo que recebemos diariamente, mas são eles que povoam nossa mente.

Pense nisso!

(autor desconhecido)

domingo, dezembro 09, 2012

Volks...

Ahhhhh....

Duvido que alguém descobre o que é a foto abaixo:


É incrível como mudando um olhar ou alterando uma visão somos capazes de nos surpreender novamente!

Veja a vida de uma forma diferente.

Veja os problemas por outros ângulos, quem sabe e;e não é muito menor do que você imagina?!

terça-feira, dezembro 04, 2012

Homenagem ao Professor

Esse semestre tivemos um professor que foi a primeira vez que deu aula. Eles estava super tímido no início do semestre, mas com o tempo a aula foi se tornando cada vez melhor.

Ao final do semestre eu e uma amiga resolvemos homenagear esse professor, como uma forma de incentivo, para ele continuar a lecionar e continuar a se esforçar tanto, ou mais, do que vislumbrávamos em sala de aula. Ele trouxe doutrina, jurisprudência, os casos práticos, a vivencia e isso nos inspirou no decorrer do semestre.

A matéria lecionada era Direito Penal Especial e ficamos muito contentes e ficamos muito contentes em ter feito parte desse aprendizado mútuo. Vou colocar uma parte da Carta, lembrando que essa carta foi escrita com base nos acontecimentos e exemplos levados para a sala de aula, por isso, pode parecer estranha, mas ela tem um grande significado, segue abaixo:


Penso que esta é a oportunidade ideal para agradecer por tudo aquilo que você fez por nós e por tudo o que nos ensinou em aula. Sabemos que sua vida é bastante tumultuada: a leitura de um livro aqui, a prisão de um criminoso ali, a correção de uma prova acolá, mas você vem tirando de letra.

Não queríamos te falar nada, mas cremos que tenha escolhido uma das profissões que mais exijam esforços: o magistério. Nós sabemos que nessa profissão o seu trabalho está só começando quando encerra suas atividades em sala de aula. É após a aula lecionada que começa a verdadeira dedicação e amor pelo que o professor faz, ou seja, lendo livros, assimilando conteúdos, pesquisando jurisprudências, criando exemplos, além de ter que aturar essa sala de aula cheia de acadêmicos, alguns com cede de saber e outros nem tanto.

Sabemos que é na sala de aula, em frente a uma turma enorme de acadêmicos te observando, que bate aquele nervosismo, um friozinho na barriga, aí aprendemos também que o caminho é “imaginar os telespectadores todos pelados” para poder relaxar e conseguir ministrar uma boa aula.

Tudo bem que às vezes as aulas são uma tortura, não que seja racismo ou discriminação, mas falar de responsabilidade penal de uma pessoa que nem existe, no mundo físico, dá vontade de pegar uma bazuca e explodir tudo ou fumar [omissis] para relaxar. 

É tanta coisa para aprender que parece que nossos neurônios estão bêbados e dirigindo a 200km/h, correndo o risco de serem presos em flagrante a qualquer momento... Isso quando não sonhamos que os livros da estante estão nos colocando de castigo, o que, na nossa humilde opinião, é um abuso de autoridade! 

Mas nunca esquecemos do nosso objetivo que é terminar a faculdade e sermos pessoas bem sucedidas, pois lavar dinheiro já sabemos que não adianta, a última vez que tentamos fazer isso as notas não saíram inteiras da máquina de lavar...

Por isso, apesar da vida de professor ser sofrida: muito trabalho, muito estresse, pouco respeito... Queremos que esta cartinha toque o seu coração e a sua mente como uma luzinha no fim do túnel, como uma renovação desta sua esperança latente de que, um dia, finalmente, o mundo saberá reconhecer o valor das suas palavras, da sua abnegada dedicação, do seu árduo, nobre e sagrado trabalho. Eu já estou fazendo isso, acredite!

Com admiração e gratidão,