quarta-feira, agosto 17, 2011

2ª Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava, "Wandertag in Vila"

Já estão abertas as inscrições para a 2ª Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava, "Wandertag in Vila" 
Os interessados em participar da Wandertag in Vila, Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava, já podem realizar as inscrições por meio do site do evento. Os participantes poderão adquirir - como opcional durante a inscrição - um kit com direito a camiseta do evento, água, garrafinha para água, fruta e bolsa ecológica, no valor de R$ 15,00. O valor recolhido será revertido para a implantação de uma sinalização permanente do roteiro da caminhada.
A 2ª Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava acontecerá no domingo, dia 28 de agosto. A saída será das 8h às 10h. O ponto de partida e chegada é na Sociedade Recreativa e Desportiva Serrinha, na Rua Hermann Hein, na Vila Itoupava. O percurso é de 10 quilômetros de forma circular e pode ser feito a pé ou de bicicleta.
A caminhada é organizada pelos moradores, entidades culturais, e empresários da Vila Itoupava e conta com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo, Seterb, Samae, Secretaria de Saúde, Intendência da Vila Itoupava, Fundação Municipal de Desportos e Secretaria de Comunicação, além do Corpo de Bombeiros e Policia Militar.

sexta-feira, agosto 05, 2011

Hush - Bon Jovi


Nossa… eu estou a semana inteira com essa música no ouvido. Ela quase incorporou a mim. Eu acordo cantando, durmo cantando, hoje estava até escovando o dente enquanto cantava! Isso eu posso dizer que não foi uma boa idéia... descobri meio tarde que a escova de dente não é microfone...

 

Prestem atenção na letra! É demais! A Tradução está no fim. Ah... antes que eu esqueça, a música é do Bom Jovi.

 

Hush

She says, "baby"
I love it when she calls me baby
She says: "It's 4 am, why don't you grab your shoes come on over and then… maybe..."

She drives me crazy
You know she knows she drives me crazy
Well she says: "let's pretend there's beer, champagne
We'll beet out the pouring rain
And I'll let ya
Drive me crazy"

Well she don't talk about love
We don't tak about us
What we don't say with words,
We say when we touch.

Hush
Come wrap your arms around me
Hush
We don't have to talk tonight so
Hush
Now we got some better crush
We don't have to say to much
Write a book each time we touch
Hush

Said nothing
Sometimes so little said is something
There's ten things I could've said
But we don't waste time on that shit
So we rise above it

Well she don't talk about love
And we don't talk too much
What we don't say with words
We say when we touch

Silêncio.

Ela diz "baby"
Eu amo quando ela me chama de baby
Ela diz: "são 4 horas da manhã, por que não pega seus sapatos, vem pra cá e, então... talvez”

Ela me deixa louco
Você sabe, que ela sabe, que me deixa louco
Ela diz: "vamos fingir que cerveja, é champanhe,
Nós vamos tomar banho de chuva
E eu vou deixar você
me deixar louca”

Bem, ela não fala sobre o amor
Nós não falamos sobre nós
O que não dizemos com palavras,
Nós dizemos quando nos tocamos.

Silêncio
Vamos envolver seus braços em volta de mim
Silêncio
Nós não temos que falar hoje à noite assim
Silêncio
Agora temos mais alguns abraços
Nós não temos muito a dizer
Escrever um livro de cada vez que nos tocamos
Silêncio

Não diga nada
Às vezes, falar pouco é muito
Há dez coisas que eu poderia ter dito
Mas não podemos perder tempo com essa merda
Portanto, suba encima dele


Bem, ela não fala sobre o amor
E não falamos muito
O que não dizemos com palavras
Nós dizemos quando nos tocamos


Silêncio
Vamos envolver seus braços em volta de mim
Silêncio
Nós não temos que falar hoje à noite assim
Silêncio
Agora temos mais alguns abraços
Nós não temos muito a dizer
Escrever um livro de cada vez que nos tocamos
Silêncio

segunda-feira, agosto 01, 2011

Moda

Há não muito tempo, eu li o Trabalho de Conclusão de Curso de uma amiga, Ozélia. Ela se formou em Moda. Confesso que li com atenção por ela, pois não é algo que realmente me fascine, pois não me atenho à idéia de moda. Apesar de gostar de alguns estilos específicos, de épocas específicas. Foi então que eu comecei a pesar algumas coisas.

Ela comentou e me explicou, enquanto eu lia, que moda não é apenas desenhar e criar, é pesquisar, procurar, entender. São coisas que faço no dia-a-dia, mas de outra forma e com outro foco. Não me atento muito para o que visto, mas isso não quer dizer que vou sair com qualquer coisa na rua. Vou me atentar ao meu jeito de ser. Vislumbrei assim a ideia de moda implicada em minha vida.

Aí que está a peculiaridade do negócio. Nós nos vestimos de uma forma a ser agradável para os outros na maior parte do tempo, e acredito ser esse o problema, deveríamos tentar agradar nossos olhos, nosso espírito e não parecer o que não somos diante dos outros. E com isso surge um problema, temos que tomar uma simples escolha:

A) Vestir-se do jeito que agrada os outros e/ou estar na moda.
B) Vestir-se como se sente bem, e como reflete seu jeito, estando ou não na moda.

Conseqüências:

A) Você será considerada uma pessoa normal. Será mais facilmente aceita. Haverá uma chance maior de você não sofrer um pré-julgamento. Será como a maioria das pessoas, mais uma no meio da multidão. Feliz e conformada por ser aceita até que a moda mude e você tenha que trocar todo o seu guarda-roupa.
B) Você poderá ser considerada louca ou excêntrica e provavelmente as pessoas achem que sabe quem você é sem nem trocar um "oi" com você. Isso porque muitas vezes a imagem que queremos passar vem vinculada a uma leitura relativa, pois é influenciada pelo contexto em que se vive ou que se conhece.

Ou seja, você pode ter interpretado que aquela roupa que está vestindo te relembra dos anos 70, do rock, da liberdade de expressão. As pessoas vão achar você fora do contexto, que você é "brega¹", é diferente, estranha, no pior significado da palavra, e assim você será excluída. Pois é isso que acontece com as pessoas bizarras.

Assim você cria mais algumas alternativas para a sua vida:

A) Se enquadrar nos parâmetros da sociedade moderna;
B) Continua com suas opções de vestuário;

Consequências:

A) Você poderá encontrar amigos, as pessoas poderão esquecer que você era uma excêntrica e passaram a te ignorar ao invés de falar mal de você e um dia poderá alcançar o status de amiga de uma dessas pessoas;
B) Poucas pessoas conversaram contigo, provavelmente aquelas que não se importam com o que você está vestindo, ou que também são excluídas, ou acham massa o jeito maluco como você se veste ou lhe aceitam pelo que você é. E assim você passa a ter amigos que não lhe julgam pela capa.

Isso é o que acontece na maioria das vezes, não quer dizer que acontecerá em todas às vezes. Quando eu uso o termo "maioria" quero dizer que no complexo mundo em que vivo é assim que acontece, mas não excluo as exceções.

Bem, são escolhas que te influenciarão o resto da vida, são escolhas que você fará cotidianamente, até muitas vezes de maneira inconsciente afim de ser aceita (o).
A questão que eu deixo é: Porque julgamos tanto as pessoas pelo que elas parecem ser, e não pelo que elas são realmente?

Quero deixar claro que não sou contra a moda, sou contra o consumismo, contra esse pré conceito que se cria sobre as pessoas. Não seria bom se cada um pudesse criar a sua moda?


¹ Que se considera ser de mau gosto ou não ter refinamento. De qualidade inferior.