quinta-feira, janeiro 09, 2014

Trajetos da vida e as calçadas de Blumenau

Muitas vezes eu vou de bota para o trabalho, ou até mesmo de coturno, isso até poderia ser normal... no inverno, mas muitas vezes faço isso no verão (na maior parte dos dias).
No final do ano uma colega me perguntou como eu aguentava ficar com bota com aquele calor. Bem, não é que seja minha preferência incondicional, mas por questão de segurança no trajeto casa-trabalho, acabo por colocar sapatos fechados. Pensando nisso, resolvi fotografar o trajeto que faço de casa ao ponto de ônibus para mostrar como faço meu exercício de baliza, alongamento e rally diário.

Primeiramente quero salientar que essas fotos foram tiradas em dezembro, quando a FOZ DO BRASIL havia invadido a nossa rua para, em tese, instalar um sistema de esgotos.

Então... logo que saio da minha casa, tenho que fazer balizar, desviar de cones, galhos, coco de cachorro... essas coisas:


Depois tenho que esperar humildemente o caminhão sair de cima da calçada para que eu possa seguir meu caminho...


Atravesso as crateras lunares deixadas pela FOZ...


Essa é interessante. O vizinho recentemente reformou a frente da casa, construiu muro e até um canteirinho, mas esqueceu da calçada... Adoro quando chove... Só que não...


Continuando... ainda na mesma quadra: outro vizinho que reformou a casa recentemente e ao invés de fazer uma calçada, colocou britas! Bem... se eu tinha esperança de um dia ir de salto para o trabalho... o salto não sobreviveria a isso:


Falando em salto... essa parte é impossível de passar com ele. A rua é tão inclinada que se eu quisesse ir de salto ou eu ando de lado ou vou para o meio da rua...


Aqui está outra parte interessante do trajeto. De tempos em tempos ficávamos sem luz, muitas vezes isso acontecia pois alguém atropelava o poste que ficava estrategicamente na curva. Bem, acharam uma solução para isso: colocar os postes do outro lado da rua! Genial! Entretanto eles não apenas colocaram no outro lado da rua, como colocaram bem NO MEIO da calçada! A calçada, diga-se de passagem, já não era grande coisa, mas adivinhem: o que é ruim, sempre pode piorar!
Antes a gente fazia zigue-zague pela calçada para passar essa quadra, agora fazemos zigue-zague na rua! O poste é enorme e está bem no meio da, em tese, calçada. Agora temos duas alternativas: ou invadimos a rua ou caímos no barranco!


Bem, como eu disse, a calçada, por si só, já é uma vergonha:


Olha que interessante: buracos e arames saem do meio da calçada! Imagina passar aqui a noite!


Mais obras da FOZ:


Essa é outra parte que me chama bastante atença. A calçada é estreita e está ABAIXO do nível da rua, detalhe, em uma curva. O que acontece? Bem, fora que quando chove ela fica inundada, vira e mexe um motorista invade a calçada enquanto está fazendo a curva. Isso já aconteceu algumas vezes na minha frente! Sério, dá medo!


Bem... na sequencia tem um terreno baldio que SEMPRE está cheio de mato e este impede nossa passagem... Quando está chovendo, parece que você está sendo benzido com ramos e quando faz sol, você termina o trajeto cheio de matos e sementes grudados na roupa. É um espetáculo!


Faz mais ou menos um ano que uma patrola subiu nesse terreno baldio, para fazer sabe lá o que, consequência: o lindo mosaico de calçada que você vê abaixo.


Bem... calçadas estreitíssimas que se seu guarda-chuvas for muito grande é carregado pelos carros que passam ao lado...


E por fim, já chegando no ponto, calçadas maiores! Aleluia!
Entretanto, como podem ver... eu perdi o ônibus!! Bem... daqui a dez minutos (conforme o site, poque no mundo real demora meia hora) passa outro!



Nenhum comentário:

Postar um comentário