terça-feira, dezembro 04, 2012

Homenagem ao Professor

Esse semestre tivemos um professor que foi a primeira vez que deu aula. Eles estava super tímido no início do semestre, mas com o tempo a aula foi se tornando cada vez melhor.

Ao final do semestre eu e uma amiga resolvemos homenagear esse professor, como uma forma de incentivo, para ele continuar a lecionar e continuar a se esforçar tanto, ou mais, do que vislumbrávamos em sala de aula. Ele trouxe doutrina, jurisprudência, os casos práticos, a vivencia e isso nos inspirou no decorrer do semestre.

A matéria lecionada era Direito Penal Especial e ficamos muito contentes e ficamos muito contentes em ter feito parte desse aprendizado mútuo. Vou colocar uma parte da Carta, lembrando que essa carta foi escrita com base nos acontecimentos e exemplos levados para a sala de aula, por isso, pode parecer estranha, mas ela tem um grande significado, segue abaixo:


Penso que esta é a oportunidade ideal para agradecer por tudo aquilo que você fez por nós e por tudo o que nos ensinou em aula. Sabemos que sua vida é bastante tumultuada: a leitura de um livro aqui, a prisão de um criminoso ali, a correção de uma prova acolá, mas você vem tirando de letra.

Não queríamos te falar nada, mas cremos que tenha escolhido uma das profissões que mais exijam esforços: o magistério. Nós sabemos que nessa profissão o seu trabalho está só começando quando encerra suas atividades em sala de aula. É após a aula lecionada que começa a verdadeira dedicação e amor pelo que o professor faz, ou seja, lendo livros, assimilando conteúdos, pesquisando jurisprudências, criando exemplos, além de ter que aturar essa sala de aula cheia de acadêmicos, alguns com cede de saber e outros nem tanto.

Sabemos que é na sala de aula, em frente a uma turma enorme de acadêmicos te observando, que bate aquele nervosismo, um friozinho na barriga, aí aprendemos também que o caminho é “imaginar os telespectadores todos pelados” para poder relaxar e conseguir ministrar uma boa aula.

Tudo bem que às vezes as aulas são uma tortura, não que seja racismo ou discriminação, mas falar de responsabilidade penal de uma pessoa que nem existe, no mundo físico, dá vontade de pegar uma bazuca e explodir tudo ou fumar [omissis] para relaxar. 

É tanta coisa para aprender que parece que nossos neurônios estão bêbados e dirigindo a 200km/h, correndo o risco de serem presos em flagrante a qualquer momento... Isso quando não sonhamos que os livros da estante estão nos colocando de castigo, o que, na nossa humilde opinião, é um abuso de autoridade! 

Mas nunca esquecemos do nosso objetivo que é terminar a faculdade e sermos pessoas bem sucedidas, pois lavar dinheiro já sabemos que não adianta, a última vez que tentamos fazer isso as notas não saíram inteiras da máquina de lavar...

Por isso, apesar da vida de professor ser sofrida: muito trabalho, muito estresse, pouco respeito... Queremos que esta cartinha toque o seu coração e a sua mente como uma luzinha no fim do túnel, como uma renovação desta sua esperança latente de que, um dia, finalmente, o mundo saberá reconhecer o valor das suas palavras, da sua abnegada dedicação, do seu árduo, nobre e sagrado trabalho. Eu já estou fazendo isso, acredite!

Com admiração e gratidão,

Nenhum comentário:

Postar um comentário