sexta-feira, setembro 30, 2011

Mudando o mundo

Hoje tive uma conversa bem interessante com uma amiga, mas como eu não pedi permnissão a ela, vou colocar só as iniciais do nome dela.
 
Mayane: Nós não herdamos a Terra de nossos antecessores, nós a pegamos emprestada de nossas crianças.
(Provérbio Nativo Americano)
E.D.B: muito interessante o ponto de vista :)
Mayane: Achei essa frase maravilhosa
E.D.B: também goste
E.D.B: *gostei
 Mayane: deveriamos pensar mais nisso... não somos, nem nunca seremos donos da terra. E o que fazemos com ela pode gerar consequencias infinitas. Quando os europeus aqui chegaram, foi extremamente dificil para os indios entenderem o porque que eu tenho que respeitar uma cerca, o limite de uma propriedade, se a terra não pertence a ninguém e sim, pertence a todos nós.
E.D.B: concordo contigo, com as devidas reservas relacionadas à evolução da sociedade
E.D.B:hehe
E.D.B: eu penso nessa frase como uma outra forma de falar "respeite o meio ambiente"
E.D.B: aliás, não só isso
E.D.B: pensando bem, isso também se relaciona ao respeito à sociedade como um todo
E.D.B: quero dizer, a violência tem aumentado consideravelmente
E.D.B: a violência que os meus pais viram quando tinham a minha idade é completamente diferente daquela que eu vejo hoje
E.D.B: e tenho certeza de que os nossos descendentes verão mais do que nós vemos
E.D.B: as crianças de hoje não fazem o que eu fiz
E.D.B: porque os pais não confiam na sociedade
E.D.B: não confiam que a sociedade possa trazer segurança para os seus pimpolhos
E.D.B: e eles estão absurdamente mais privados de liberdade por causa disso
E.D.B: :/
Mayane: sim... concordo plenamente...criamos uma sociedade consumista, individualista e extremamente violenta
Mayane: acho que é uma consequencia... mas que pode ser revertida... o problema é que os que podem fazer isso, e aí eu não me refiro aos que consideramos no poder (governantes por exemplo), me refiro a nós, e nós estamos cada vez mais desiludidos com a nossa própria capacidade de mudar, de transformar
Mayane: acabamos nos contentando com um sistema de governo, com uma sociedade, com uma forma de pensar, com um jeito de encarar as coisas, que não nos agrada... mas nos contentamos com isso...porque é "mais fácil"
Mayane: e esquecemos do que isso nos trará para o futuro
E.D.B: olha, acho que isso seria o ideal, mesmo. Mas, não consigo imaginar uma maneira de isso se concretizar. Não sei o que poderia ser feito pra mudar o alto índice de violência no país (e começo falando por Blumenau, mesmo, que é uma cidade relativamente segura... E o meu irmão chegou a ser assaltado 3 vezes em 15 dias...)
E.D.B: podes observar os carros: cada vez mais carros na cidade, ocupados por uma pessoa só. Isso indica individualismo, não é? Pois então, não sei como essa nossa sociedade individualista poderia se unir para virar o jogo, pra dimiuir a violência
E.D.B: sei que é um discurso meio derrotado, mas, sinceramente, a minha inteligência está um tanto limitada nesse ponto hehe
Mayane: Sabe, eu tenho um carro que consome bastante combustível e que só cabem duas pessoas, seria talvez mais um discurso vazio. Mas note, eu faço tudo a pé ou de onibus, e tento sempre uma carona. Gosto mais de ir andando mais do que pegar carona, mas a carona para mim tem várias finalidades como me aproximar das pessoas, utilizar o veículo de forma mai sustentável. Venho da segunda cidade mais violenta do país, e lá não havia tanta exclusão (social e cultural) quanto há aqui. Outra coisa interessante, você conhecia os vizinhos, você oferecia carona.
Mayane: Gosto daqui, é bem mais tranquilo, mas as pessoas são mais frias... não gosto de ser assim. E tento passar isso para as pessoas que estão a minha volta.
Mayane: Hoje eu noto que quando eu chego você já sorri. E isso me deixa ainda mais feliz
Mayane: lembra o que eu falei sobre dar bom dia animada... isso é mudar as coisas...
Mayane: se conseguirmos mudar 3 pessoas e essas 3 mudarem mais 3 ... mudaremos o mundo
Mayane: eu gosto de acreditar nisso
Mayane: gosto de pensar assim.
E.D.B: Mayane, acho que poderíamos, aliás, deveríamos ter uma longa conversa sobre tudo isso
E.D.B: nesse ponto, vejo que somos muito parecidas
E.D.B: hehe
E.D.B: gostamos dessas conversas que levam somente à elevação da alma
E.D.B: que não tem nada de prático
E.D.B: hehe
E.D.B: o teu "bom dia" animado só não me faz sorrir quando eu estou ocupada
E.D.B: ou "muito ocupada"
E.D.B: eu já fui muito mais parecida contigo
E.D.B: hehe
Mayane: Olah... não concordo com "conversas que levam somente à elevação da alma [...] que não tem nada de prático". Acho que se essas conversas a nossa alma algo acrescenta, devemos multiplicar isso e essa será a pratica. Maisi do que isso, os frutos das nossas conversas devem ser plantados, e não guardados. Gosto de conversas como essa. Me fazem pensar e questionar ainda mais, e me fazem ter idéias de como mudar as coisas.
E.D.B: (clap)
E.D.B: precisamos conversar, mesmo!!
E.D.B: hehe
E.D.B: quero voltar a ter mais esperança na prática!!!
E.D.B: :)
E.D.B: gosto de pessoas que procuram me convencer de que estou resignada e desiludida
E.D.B: às vezes a esperança volta a brotar
E.D.B: hehe
Mayane: tomara que eu consiga!

Nenhum comentário:

Postar um comentário