quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Lágrimas contidas


As vezes eu simplismente sinto que vou chorar. Seguro minha lágrima até o último instante. Não quero que nenhuma gota de meu ser transforde pelo meu olhar. Ela não cai.

Sinto que se eu começar a chorar nunca mais vou parar, ficarei fraca e sem rumo. Choraria por sonhos que deixei para traz, por ideologias que me fizeram esquecer e esqueci, pelo amargo que me fiz e fizeram engolir, pelos "nãos" que ouvi e disse, pela dor que sinto quando estou sozinha, por demorado tanto para encontrar o rumo que me trouxe até aqui, pela distância que estou da minha família, pela saudade dos meus amigos.

Choraria os nós que ficaram na garganta, os "sapos" que engoli, os dramas que assisti, as tristezas que li, as decepções que vivi. Derramaria rios por causa da corrupção, por me sentir impotente diante da impunidade, pelas injustiças que se fizeram reinar, pela fome, pela sede, pelas secas, pelas enchentes. Lágrimas cairiam por ter tido que sofrer para aprender a dar valor, por não ter encontrado meu amor antes, por não ter todos que amo ao meu lado, pelos amigos que tiveram que partir.


Mas também teria alegria na chuva que meus olhos proveriam, seria pela lembrança da minha doce infância, pelas brincadeiras, pela inocência, pela pureza e pela imaginação. Não faltariam lágrimas para os contos de fadas, inclusive os que se tornaram realidade, pelas outras "vidas" que o teatro me peoporcionou. Pelos cavalos que montei, pelos troféus e méritos que ganhei, pelos quadros que pintei ou coisas que inventei.

Sorriria chorando, ao lembrar dos passos dados e os sonhos conquistados, ao saber que hoje tenho com quem dividir minha vida, que eu sei o que é o amor e que sou amada, por ter descoberto minhas forças e meus limites, por saber por quem e porque lutar, por ter me aventurado por coisas que acreditei, por nunca ter desistido de tentar, pelo primeiro beijo, pelos sonhos que me restam. E choraria sem parar pela felicidade que encontrei.

Então não começo a chorar, pois sei que não conseguiria parar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário