quarta-feira, dezembro 21, 2011

Sorteio Relâmpago aqui no Achados de Decoração - só hoje!

Sorteio Relâmpago aqui no Achados de Decoração - só hoje!

Gente, quem gosta de surpresas, levanta a mão \o/  Então, corram aqui, porque tem algo muito legal, olha só: acabei de perceber que o meu, o seu, o nosso Achados de Decoração já está com quase 6.000 Seguidores - uau, caramba! rsrsrs Como não comemorar? Tenho que comemorar, é algo do tipo obrigatório, para agradecer de alguma forma a vocês, né gente? Então, que tal um Sorteio Relâmpago com prêmio da nossa loja Boutique de Achados, hã?  (só vale hoje, 4a. feira, dia 21/12/11)

Luiz Gaúcho

Serio claudino????
Que Deus o tenha, abra as portas da eternidade e conforte sua alma.
e aqui, nesse vale de lágrimas, de toda a força do mundo pra sua familia, e amigos...
a vida é assim, a grande viagem é inadiável...

JM

**********************

Descanse em paz tchê!

LEONARDO FLACH

**********************

Puxa, não acredito! :(
Não o conheci pessoalmente infelizmente, mas já trocamos alguns e-mails, estava no meu rol de pessoas queridas aqui desses grupos onde tenho muitos como minha família, e posso lhes garantir que só de ler a primeira frase desse e-mail, me deu um aperto no coração, uma chateação tão grande, uma falta total de palavras pra expressar a tristeza que senti.
Imagino então o sofrimento da família, de uma pessoa que, só por fazer parte desse seleto grupo que participamos, já acredito ser alguém de boa índole, querido por muitos, amigo de todos. Gostaria que alguém mandasse à família os meus sentimentos, que mesmo sendo de alguém distante, são sinceros e profundos.
Estou sem palavras pra escrever mais... Estou triste e perdido em meus pensamentos, onde apenas tudo o que sei, é que uma hora chega a hora de todos nós, e por mais que nos preparamos, nunca estaremos prontos para aceitar isso. Eu só peço a Deus para que me leve antes da maioria das pessoas que quero bem, pois minha vida não seria nada sem eles, eu não teria razão para viver.

Luiz, que estejas com Deus e olhe por todos nós, por nossos brinquedos, paixões, amigos e família. Que possamos ainda nos encontrar um dia, em algum lugar.

Um grande abraço a todos, em especial para familiares e amigos mais próximos do grande Luiz que se foi dessa para a melhor,

Rafael Diresta Argemiro
Jaguariúna/SP

(Apenas mais um que está nesse plano até que Deus deseje o contrário.)

**********************

Estou unido aos companheiros nesta dor pela perda do Luiz. Que a certeza na existência de um ser supremo traga consolo a família e a todos nós. Que este Deus nos guie pelas estradas e oriente nossos caminhos. Fica a lembrança da grande pessoa que foi Luiz.
 
Drausio Luiz de Camargo

**********************

essa é uma triste notícia para todos nós.
Perdemos um grande amigo e um excelente companheiro de viagem.
Como gaúcho, era um dos maiores contadores de "causos" que já conheci.
Sempre apaixonado pela sua família, enfrentando os desafios que a vida lhe colocou sem jamais lamentar-se.
Fica a boa lembrança e a saudade.
Descanse em PAZ gaudério.
...
...

HERNANI L. SOBIERAJSKI

**********************

Amigos, 
O Luiz era a simplicidade em pessoa, muito inteligente e dedicado a família.
Em Foz do Iguaçu almoçamos juntos naquele restaurante das Carataras que ninguém foi, todos preferiram um lanche rápido no bar, apenas minha família, o Luiz e a Olivia e depois chegou outro amigo de SC, o Rubyo e esposa. Passamos a tarde naquele delicioso lugar, excelente restaurante e vista maravilhosa só contando causos. Em certo momento surgiu o assunto da filha do Luiz, que logo ele abafou e me falou baixinho que depois me explicaria. Longe da Olivia, ele me confidenciou que a filha estava com CA e não queria tocar no assunto, pq a Olivia ficava muito chateada. Eles vinham constantemente a SP para ajudar no tratamento.
Quanto perguntei ao Jaques, logo depois dessa notícia, como estava a esposa dele, e o Jaques disse não saber, pq eles estavam mais para SP do que lá, porque há pouco tempo eles tinham perdido a filha, imagine agora o estado da Olivia, perdendo o marido e a filha. Os dois formavam um casal de apaixonados e para eles tudo estava bom, amavam a vida.
E para quem viu as fotos dos carros acidentados, vê-se bem que o Corsa do Luiz não afetou tanto para causar a morte dele, segundo o Jaques suspeitam que ele teve um infarto. O link para ver essas fotos está no www.pumaclassic.com.br
Moçada, ele era jovem só tinha 62 anos, portanto se cuidem. Façam o que eu falo, mas não façam o que eu faço.  

Abraços

Felipe Nicoliello

terça-feira, dezembro 20, 2011

Luiz Gaúcho



Turma,

  Nosso grande colega pumeiro Luiz Gaúcho não está mais entre nós. Se envolveu num grave acidente de trânsito no sábado e veio a falecer. 

  Esteve presente com seu Puma tubarão colorado e suas histórias, nos encontros de 40 anos da Puma (Curitiba), 43 anos (Jaraguá do Sul - Pomerode) e 45 anos (Foz do Iguaçu). Quem conheceu essa figura, só lhe pode arrancar elogios.

  Luiz Carlos Ritta Moreira, uma grande pessoa que deixa grandes lembranças...

Um abraço de Fibra,

Jaques Claudino
Pomerode-SC

Fazendo Música!






Poxa... realmente, isso vicia!

sexta-feira, dezembro 16, 2011

terça-feira, dezembro 13, 2011

quinta-feira, dezembro 08, 2011

Terminais de ônibus Urbanos de Blumenau

Eu critiquei os terminais de ônibus urbanos de Blumenau. Na minha opinião, esteticamente eles são horríveis! Para uma cidade que tem um apelo turístico grande, fazer terminais de ônibus semelhante a caixotes não foi uma escolha muito feliz.


Veja, eles são pretos atrás, amarelos em cima... O que acharam?
Quando eu vi eles fazendo, imaginei que fariam algo com vidro acrílico (como realmente foi feito), mas que fariam uma estrutura semelhante a arquitetura em enxaimel. Seria algo semelhante ao tradicional e além de funcional embelezaria a cidade. Veja uma estrutura em enxaimel:


Imaginem que lindo seria um terminal semelhante a essa casa!
A Prefeitura já tem um desenho assim, e muitos prédios também. Para que tentar modernizar uma cidade que tenta a todo custo conservar a suas tradições? Não é essa beleza que atrai tantos turistas para Blumenau?

Mas não é só isso, ontem eu fui na recém inaugurada "Estação Carlos Gomes" na Av. Castelo Branco. Engraçado que eu entrei nela e fiquei me perguntando porque estava tão quente quanto o exterior se ela tem um sistema de condicionadores de ar. Para a minha surpresa a porta estava quebrada!


Pode ver, a porta está escancarada e tem uma borracha pendurada. Para minha frustração além de feios eles pelo jeito trarão bastante gasto com manutenção, mas não precisamos nos preocupar, pois esse dinheiro da manutenção não será pago pela prefeitura. Ou seja, não será retirado dos nossos impostos, mas como nada é de graça, pagaremos com a tarifa de ônibus que pelo visto, terá que aumentar ainda mais, sobre uma possível alegação de aumento de gastos com terminais feios e (pelo que aparenta) descartáveis.


quarta-feira, dezembro 07, 2011

Promoção

Olá!

Está rolando uma promoção no blog:

 Feito Irmãs!!!

Vale apena participar

Vou até deixar esse post aqui por mais tempo, para ninguém dizer que eu não avisei!

terça-feira, dezembro 06, 2011

Quando alguém te abraça



Clique na imagem para ampliar.

Indo direto para casa

Poxa... podem me xingar, o Blog está quase abandonado...
Sabe como é...final de semestre na faculdade, final de ano, você sem querer deixar pendências para o ano seguinte, acontece isso: abandono total de vidas alternativas.

Mas bem. Hoje vou contar um fato que ocorreu comigo ontem.

Normalmente quando é 18h00 eu vou para a faculdade e depois para casa. Mas para meu provisório alívio as aulas acabaram, com isso vou diretamente para casa. Ontem foi minha primeira aventura dessa nova experiência (tendo em vista que comecei no meu novo trabalho a uns 6 meses).

Pois bem, fui até o ponto, e não demorou muito para que ônibus chegar, e para a surpresa de todos ele estava lotado. Mas nada que um empurrãozinho aqui, uma apertadinha ali, uma licencinha acolá não resolva. Após eu me sentir parte integrante do ônibus. Porque, sinceramente, acho que eu fiz uma fusão com aquela massa de pessoas.

Sabe aquela teoria de que "dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo", pois é, eu acho que Isaac Newton nunca andou de lotação as 18h00.


Mas, até aí tudo bem. Nós somos brasileiros e sempre damos um jeitinho. Pensei comigo: Bem, na metade do caminho tem o terminal e lá fica a metade, daí eu vou poder pelo menos voltar a respirar". Após uns 30 minutos chegamos ao terminal, detalhe, se eu fizesse esse trajeto a pé, eu chegaria em uns 20 minutos. Mas para a minha surpresa, realmente desceu metade dos ocupantes do ônibus, o problema é que subiu o dobro de pessoas!

Os cinco pontos subsequentes, toda vez que alguém queria sair do ônibus, várias pessoas desciam do degrau para sair da porta e subiam novamente. Então consegui respirar cinco vezes. Eu desço normalmente no sétimo ponto após o terminal, pois se eu descer no ponto anterior tenho que subir o morro, então opto por ir mais um, afinal, descer todo santo ajuda.

Quando chegou próximo ao sexto ponto eu fiquei até mais feliz: "Logo vou deixar de ser uma sardinha, vou respirar novamente, poder caminhar..."
Então o ônibus fez uma curva para a direita e a mulher que estava do meu lado, que até então estava com as duas mãos na barra a sua frente, para se segurar esticou um dos braços e segurou na barra acima da sua cabeça.

Foi instantâneo, meu rosto rapidamente se virou para o outro lado, meu estomago foi o primeiro a reagir... ele quis colocar tudo para fora. O cheiro que se alastrou foi tão forte que apertei o botão para sair daquele lugar. Não me interessava a que distancia eu estava de casa, eu teria que sair correndo...


Cheguei a conclusão que algumas pessoas não sabem da existência do desodorante, ou pelo menos qual a utilidade dele. Não pode, aquela criatura devia estar a três dias sem tomar banho, e aproveitou para correr uma maratona! Não tem sentido!

Avisei meu chefe que sairei alguns minutinhos antes, mais uma dessa e eu morro por causa dos gases tóxicos!

segunda-feira, novembro 28, 2011

Frase da Semana

Muito freqüentemente, nós subestimamos o poder do carinho, de um sorriso, uma palavra amável, um ombro amigo, dar ouvidos, um elogio honesto, ou o menor ato de dedicação, pois todos têm o poder de transformar uma vida.
(LEO BUSCAGLIA)


segunda-feira, novembro 21, 2011

Frase da Semana

Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundos, mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força jamais o resgata.
(CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)

Por esse motivo, sei que nosso amor é eterno.
Que jamais passará, pois é tal a intensidade que nos amamos.
Que qualquer segundo se torna eterno em minha alma!

terça-feira, novembro 08, 2011

Não existe nada melhor do que você!

Obrigada por existir...

La historia que no tiene fin,
y como llegaste a ser lo hombre,
Que toda la vida pedí.

Contigo hace falta pasión,
y un toque de poesía.
Y sabiduría pues yo,
trabajo con fantasías.

Recuerdas el día que te hablé,
fue un súbito escalofrío.
Por si no lo sabes te lo diré,
Yo nunca dejé de sentirlo.

Contigo hace falta pasión,
no debe fallar jamás.
también maestría,
pues yo trabajo con el corazón.

Cantar al amor ya no bastará,
es poco para mí.
Si quiero decirte que nunca habrá,
Cosa más bella que tú.

Único como eres,
inmensa cuando quieres.
Gracias por existir.

****

Adaptação: Mayane Baumgartner
Homenagem: Jaques Claudino

***

Original: Eros Ramazzotti

segunda-feira, novembro 07, 2011

ORQUÍDEAS!

1º Festival Nacional da Laelia Purpurata, 10ª Exposição de Orquídeas
de Pomerode e 54 ª Exposição Estadual de Orquídeas, Cactos, Bromélias,
Bonsais e Plantas Ornamentais de Santa Catarina, que acontecerá de 11
a 15 de novembro de 2011, no Pavilhão de Eventos de Pomerode.

Data: De 11 a 15 de Novembro
Local: Parque Municipal de Eventos - Pomerode/SC
Horários:
11/11 - abertura às 19h
12 a 14/11 - das 9h às 22h
15/11 - das 9h às 18h
Entrada: R$ 3,00

segunda-feira, outubro 17, 2011

Frase da Semana

O valor de uma pessoa depende do que ela é, não do que ela faz, ou quanto ela tem. O valor de uma pessoa, ou uma coisa, ou uma idéia, é ser, não fazer, ou ter.

(ALICE MARY HILTON)

segunda-feira, outubro 10, 2011

Frase da semana!

A vida é uma tragédia quando vista de perto, mas uma comédia quando vista de longe.
(Charlie Chaplin)

terça-feira, outubro 04, 2011

Feijões Ou Problemas?


Feijões ou Problemas?

Reza a lenda que um monge, próximo de se aposentar, precisava encontrar um sucessor. Entre seus discípulos, dois já haviam dado mostras de que eram os mais aptos, mas apenas um o poderia. Para sanar as dúvidas, o mestre lançou um desafio, para por a sabedoria dos dois à prova: ambos receberiam alguns grãos de feijão, que deveriam colocar dentro dos sapatos, para então empreender a subida de uma grande montanha.

Dia e hora marcado, começa a prova. Nos primeiros quilômetros, um dos discípulos começou a mancar. No meio da subida, parou e tirou os sapatos. As bolhas em seus pés já sangravam, causando imensa dor. Ficou para trás, observando seu oponente sumir de vista.

Prova encerrada, todos de volta ao pé da montanha, para ouvir do monge o óbvio anúncio. Após o festejo, o derrotado aproxima-se e pergunta como é que ele havia conseguido subir e descer com os feijões nos sapatos:


- Antes de colocá-los no sapato, eu os cozinhei.

 

Carregando feijões, ou problemas, há sempre um jeito mais fácil de levar a vida. Problemas são inevitáveis. Já a duração do sofrimento, é você quem determina.

(autor desconhecido)

segunda-feira, outubro 03, 2011

Frase da Semana

"Obstáculos são aquelas coisas assustadoras que você vê quando desvia seus olhos de sua meta."
(Henry Ford)

Acredito que se você tem uma meta, se sabe aonde quer chegar, não existe obstáculo, não existe nada que te impeça de alcançar o que você quer. Nada te impede de ir atrás dos seus sonhos, a não ser você mesmo.

Bosa semana!

sexta-feira, setembro 30, 2011

Mudando o mundo

Hoje tive uma conversa bem interessante com uma amiga, mas como eu não pedi permnissão a ela, vou colocar só as iniciais do nome dela.
 
Mayane: Nós não herdamos a Terra de nossos antecessores, nós a pegamos emprestada de nossas crianças.
(Provérbio Nativo Americano)
E.D.B: muito interessante o ponto de vista :)
Mayane: Achei essa frase maravilhosa
E.D.B: também goste
E.D.B: *gostei
 Mayane: deveriamos pensar mais nisso... não somos, nem nunca seremos donos da terra. E o que fazemos com ela pode gerar consequencias infinitas. Quando os europeus aqui chegaram, foi extremamente dificil para os indios entenderem o porque que eu tenho que respeitar uma cerca, o limite de uma propriedade, se a terra não pertence a ninguém e sim, pertence a todos nós.
E.D.B: concordo contigo, com as devidas reservas relacionadas à evolução da sociedade
E.D.B:hehe
E.D.B: eu penso nessa frase como uma outra forma de falar "respeite o meio ambiente"
E.D.B: aliás, não só isso
E.D.B: pensando bem, isso também se relaciona ao respeito à sociedade como um todo
E.D.B: quero dizer, a violência tem aumentado consideravelmente
E.D.B: a violência que os meus pais viram quando tinham a minha idade é completamente diferente daquela que eu vejo hoje
E.D.B: e tenho certeza de que os nossos descendentes verão mais do que nós vemos
E.D.B: as crianças de hoje não fazem o que eu fiz
E.D.B: porque os pais não confiam na sociedade
E.D.B: não confiam que a sociedade possa trazer segurança para os seus pimpolhos
E.D.B: e eles estão absurdamente mais privados de liberdade por causa disso
E.D.B: :/
Mayane: sim... concordo plenamente...criamos uma sociedade consumista, individualista e extremamente violenta
Mayane: acho que é uma consequencia... mas que pode ser revertida... o problema é que os que podem fazer isso, e aí eu não me refiro aos que consideramos no poder (governantes por exemplo), me refiro a nós, e nós estamos cada vez mais desiludidos com a nossa própria capacidade de mudar, de transformar
Mayane: acabamos nos contentando com um sistema de governo, com uma sociedade, com uma forma de pensar, com um jeito de encarar as coisas, que não nos agrada... mas nos contentamos com isso...porque é "mais fácil"
Mayane: e esquecemos do que isso nos trará para o futuro
E.D.B: olha, acho que isso seria o ideal, mesmo. Mas, não consigo imaginar uma maneira de isso se concretizar. Não sei o que poderia ser feito pra mudar o alto índice de violência no país (e começo falando por Blumenau, mesmo, que é uma cidade relativamente segura... E o meu irmão chegou a ser assaltado 3 vezes em 15 dias...)
E.D.B: podes observar os carros: cada vez mais carros na cidade, ocupados por uma pessoa só. Isso indica individualismo, não é? Pois então, não sei como essa nossa sociedade individualista poderia se unir para virar o jogo, pra dimiuir a violência
E.D.B: sei que é um discurso meio derrotado, mas, sinceramente, a minha inteligência está um tanto limitada nesse ponto hehe
Mayane: Sabe, eu tenho um carro que consome bastante combustível e que só cabem duas pessoas, seria talvez mais um discurso vazio. Mas note, eu faço tudo a pé ou de onibus, e tento sempre uma carona. Gosto mais de ir andando mais do que pegar carona, mas a carona para mim tem várias finalidades como me aproximar das pessoas, utilizar o veículo de forma mai sustentável. Venho da segunda cidade mais violenta do país, e lá não havia tanta exclusão (social e cultural) quanto há aqui. Outra coisa interessante, você conhecia os vizinhos, você oferecia carona.
Mayane: Gosto daqui, é bem mais tranquilo, mas as pessoas são mais frias... não gosto de ser assim. E tento passar isso para as pessoas que estão a minha volta.
Mayane: Hoje eu noto que quando eu chego você já sorri. E isso me deixa ainda mais feliz
Mayane: lembra o que eu falei sobre dar bom dia animada... isso é mudar as coisas...
Mayane: se conseguirmos mudar 3 pessoas e essas 3 mudarem mais 3 ... mudaremos o mundo
Mayane: eu gosto de acreditar nisso
Mayane: gosto de pensar assim.
E.D.B: Mayane, acho que poderíamos, aliás, deveríamos ter uma longa conversa sobre tudo isso
E.D.B: nesse ponto, vejo que somos muito parecidas
E.D.B: hehe
E.D.B: gostamos dessas conversas que levam somente à elevação da alma
E.D.B: que não tem nada de prático
E.D.B: hehe
E.D.B: o teu "bom dia" animado só não me faz sorrir quando eu estou ocupada
E.D.B: ou "muito ocupada"
E.D.B: eu já fui muito mais parecida contigo
E.D.B: hehe
Mayane: Olah... não concordo com "conversas que levam somente à elevação da alma [...] que não tem nada de prático". Acho que se essas conversas a nossa alma algo acrescenta, devemos multiplicar isso e essa será a pratica. Maisi do que isso, os frutos das nossas conversas devem ser plantados, e não guardados. Gosto de conversas como essa. Me fazem pensar e questionar ainda mais, e me fazem ter idéias de como mudar as coisas.
E.D.B: (clap)
E.D.B: precisamos conversar, mesmo!!
E.D.B: hehe
E.D.B: quero voltar a ter mais esperança na prática!!!
E.D.B: :)
E.D.B: gosto de pessoas que procuram me convencer de que estou resignada e desiludida
E.D.B: às vezes a esperança volta a brotar
E.D.B: hehe
Mayane: tomara que eu consiga!

quinta-feira, setembro 29, 2011

Sobre a Vírgula


Sobre a Vírgula

Muito legal a campanha dos 100 anos da ABI
(Associação Brasileira de Imprensa)


Vírgula pode ser uma pausa ... ou não:
Não, espere.
Não espere.
Ela pode sumir com seu dinheiro:
23,4.
2,34.

Pode criar heróis:
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.
Ela pode ser a solução:
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.
A vírgula muda uma opinião:
Não queremos saber.
Não, queremos saber.
A vírgula pode condenar ou salvar:
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!
Uma vírgula muda tudo:
ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

Detalhes Adicionais:

SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.



* Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER ...

* Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM ...


segunda-feira, setembro 26, 2011

Frase do Dia

Os pequenos atos que se executam são melhores que todos aqueles grandes que se planejam.
(George C. Marshall)
 
As vezes nos prejetamos para grandes ações, grandes feitos. Mas nos esquecemos que se fizermos nossa parte todos os dias, poderemos estar plantando nosso futuro. E um futuro melhor. Devemos mudar as coisas aos poucos, sem esquecer dos grandes planos. Esses poderão revolucionar o mundo.
Mas depende de cada um fazer a sua parte.
 
Tenham uma boa semana!

domingo, setembro 25, 2011

Genesis - Folow You, Folow me

Essa música eu li em um livro, ele foi escrito no local do agradecimento.
E ele faz uma pergunta simnples:
Eu vou te seguir, você vai me seguir?

Medos...

As vezes eu sou tão tola.
Tenho medo de um passado que deveria esquecer.
Medo de um futuro que nunca existirá.
Medo de sonhos que podem nunca se realizar.
Medo de sofrer.
Medo de ver as pessoas que amo sofrerem.
Medo de não conseguir demonstrar o amor.
Medo de não conseguir mudar o mundo.
Medo...

Penso em coisas que não existem
Crio em minha mente situações perversas, para que o medo me prenda ao presente e esse mesmo medo, faça com que eu tente ser melhor hoje.
O problema está no momento em que minha imaginação transborda a minha mente, e alucina ideias irreais.

Todos temos esses medos. Pensamos em como seria nossa vida se alguem que amamos partisse e essa sensação nos faz querer sermos melhores para eles. Para que possamos demonstrar todo essa amor que está em nós, antes que nos deixem.

Outras vezes pensamos em situações mais banais, corriqueiras e como lhe dar com elas. Até esse ponto não há problema. Mas quando situações diárias se assemelham ao imaginário, tentamos lutar contra isso. Principalmente com a semelhança do que por nós já foi vivenciado.

O problema, é que, muitas vezes o fim das ações não são os mesmos. Muitas vezes o que aparenta ser, não é. Eu que trabalho com a ciência jurídica, deveria saber disso, mas tenho medo do que passou.

Sei que não voltará. Sei que a pessoa que hoje tenho ao meu lado, não me deixará sofrer, ou desistir. Sei que me ama e que só quer o meu melhor. E com isso arranca todos os medos de mim. Deixando apenas um: Medo de perdê-lo.

quarta-feira, setembro 21, 2011

MIPE

Hoje, ocorreu na furb o MIPE, mostra integrada de estudo, pesquisa e extensão!
Fiquei muito feliz pela possibilidade de participar com a minha pesquisa.
Esse foi o banner que criamos:

quarta-feira, agosto 17, 2011

2ª Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava, "Wandertag in Vila"

Já estão abertas as inscrições para a 2ª Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava, "Wandertag in Vila" 
Os interessados em participar da Wandertag in Vila, Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava, já podem realizar as inscrições por meio do site do evento. Os participantes poderão adquirir - como opcional durante a inscrição - um kit com direito a camiseta do evento, água, garrafinha para água, fruta e bolsa ecológica, no valor de R$ 15,00. O valor recolhido será revertido para a implantação de uma sinalização permanente do roteiro da caminhada.
A 2ª Caminhada Ecológica Cultural da Vila Itoupava acontecerá no domingo, dia 28 de agosto. A saída será das 8h às 10h. O ponto de partida e chegada é na Sociedade Recreativa e Desportiva Serrinha, na Rua Hermann Hein, na Vila Itoupava. O percurso é de 10 quilômetros de forma circular e pode ser feito a pé ou de bicicleta.
A caminhada é organizada pelos moradores, entidades culturais, e empresários da Vila Itoupava e conta com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo, Seterb, Samae, Secretaria de Saúde, Intendência da Vila Itoupava, Fundação Municipal de Desportos e Secretaria de Comunicação, além do Corpo de Bombeiros e Policia Militar.

sexta-feira, agosto 05, 2011

Hush - Bon Jovi


Nossa… eu estou a semana inteira com essa música no ouvido. Ela quase incorporou a mim. Eu acordo cantando, durmo cantando, hoje estava até escovando o dente enquanto cantava! Isso eu posso dizer que não foi uma boa idéia... descobri meio tarde que a escova de dente não é microfone...

 

Prestem atenção na letra! É demais! A Tradução está no fim. Ah... antes que eu esqueça, a música é do Bom Jovi.

 

Hush

She says, "baby"
I love it when she calls me baby
She says: "It's 4 am, why don't you grab your shoes come on over and then… maybe..."

She drives me crazy
You know she knows she drives me crazy
Well she says: "let's pretend there's beer, champagne
We'll beet out the pouring rain
And I'll let ya
Drive me crazy"

Well she don't talk about love
We don't tak about us
What we don't say with words,
We say when we touch.

Hush
Come wrap your arms around me
Hush
We don't have to talk tonight so
Hush
Now we got some better crush
We don't have to say to much
Write a book each time we touch
Hush

Said nothing
Sometimes so little said is something
There's ten things I could've said
But we don't waste time on that shit
So we rise above it

Well she don't talk about love
And we don't talk too much
What we don't say with words
We say when we touch

Silêncio.

Ela diz "baby"
Eu amo quando ela me chama de baby
Ela diz: "são 4 horas da manhã, por que não pega seus sapatos, vem pra cá e, então... talvez”

Ela me deixa louco
Você sabe, que ela sabe, que me deixa louco
Ela diz: "vamos fingir que cerveja, é champanhe,
Nós vamos tomar banho de chuva
E eu vou deixar você
me deixar louca”

Bem, ela não fala sobre o amor
Nós não falamos sobre nós
O que não dizemos com palavras,
Nós dizemos quando nos tocamos.

Silêncio
Vamos envolver seus braços em volta de mim
Silêncio
Nós não temos que falar hoje à noite assim
Silêncio
Agora temos mais alguns abraços
Nós não temos muito a dizer
Escrever um livro de cada vez que nos tocamos
Silêncio

Não diga nada
Às vezes, falar pouco é muito
Há dez coisas que eu poderia ter dito
Mas não podemos perder tempo com essa merda
Portanto, suba encima dele


Bem, ela não fala sobre o amor
E não falamos muito
O que não dizemos com palavras
Nós dizemos quando nos tocamos


Silêncio
Vamos envolver seus braços em volta de mim
Silêncio
Nós não temos que falar hoje à noite assim
Silêncio
Agora temos mais alguns abraços
Nós não temos muito a dizer
Escrever um livro de cada vez que nos tocamos
Silêncio

segunda-feira, agosto 01, 2011

Moda

Há não muito tempo, eu li o Trabalho de Conclusão de Curso de uma amiga, Ozélia. Ela se formou em Moda. Confesso que li com atenção por ela, pois não é algo que realmente me fascine, pois não me atenho à idéia de moda. Apesar de gostar de alguns estilos específicos, de épocas específicas. Foi então que eu comecei a pesar algumas coisas.

Ela comentou e me explicou, enquanto eu lia, que moda não é apenas desenhar e criar, é pesquisar, procurar, entender. São coisas que faço no dia-a-dia, mas de outra forma e com outro foco. Não me atento muito para o que visto, mas isso não quer dizer que vou sair com qualquer coisa na rua. Vou me atentar ao meu jeito de ser. Vislumbrei assim a ideia de moda implicada em minha vida.

Aí que está a peculiaridade do negócio. Nós nos vestimos de uma forma a ser agradável para os outros na maior parte do tempo, e acredito ser esse o problema, deveríamos tentar agradar nossos olhos, nosso espírito e não parecer o que não somos diante dos outros. E com isso surge um problema, temos que tomar uma simples escolha:

A) Vestir-se do jeito que agrada os outros e/ou estar na moda.
B) Vestir-se como se sente bem, e como reflete seu jeito, estando ou não na moda.

Conseqüências:

A) Você será considerada uma pessoa normal. Será mais facilmente aceita. Haverá uma chance maior de você não sofrer um pré-julgamento. Será como a maioria das pessoas, mais uma no meio da multidão. Feliz e conformada por ser aceita até que a moda mude e você tenha que trocar todo o seu guarda-roupa.
B) Você poderá ser considerada louca ou excêntrica e provavelmente as pessoas achem que sabe quem você é sem nem trocar um "oi" com você. Isso porque muitas vezes a imagem que queremos passar vem vinculada a uma leitura relativa, pois é influenciada pelo contexto em que se vive ou que se conhece.

Ou seja, você pode ter interpretado que aquela roupa que está vestindo te relembra dos anos 70, do rock, da liberdade de expressão. As pessoas vão achar você fora do contexto, que você é "brega¹", é diferente, estranha, no pior significado da palavra, e assim você será excluída. Pois é isso que acontece com as pessoas bizarras.

Assim você cria mais algumas alternativas para a sua vida:

A) Se enquadrar nos parâmetros da sociedade moderna;
B) Continua com suas opções de vestuário;

Consequências:

A) Você poderá encontrar amigos, as pessoas poderão esquecer que você era uma excêntrica e passaram a te ignorar ao invés de falar mal de você e um dia poderá alcançar o status de amiga de uma dessas pessoas;
B) Poucas pessoas conversaram contigo, provavelmente aquelas que não se importam com o que você está vestindo, ou que também são excluídas, ou acham massa o jeito maluco como você se veste ou lhe aceitam pelo que você é. E assim você passa a ter amigos que não lhe julgam pela capa.

Isso é o que acontece na maioria das vezes, não quer dizer que acontecerá em todas às vezes. Quando eu uso o termo "maioria" quero dizer que no complexo mundo em que vivo é assim que acontece, mas não excluo as exceções.

Bem, são escolhas que te influenciarão o resto da vida, são escolhas que você fará cotidianamente, até muitas vezes de maneira inconsciente afim de ser aceita (o).
A questão que eu deixo é: Porque julgamos tanto as pessoas pelo que elas parecem ser, e não pelo que elas são realmente?

Quero deixar claro que não sou contra a moda, sou contra o consumismo, contra esse pré conceito que se cria sobre as pessoas. Não seria bom se cada um pudesse criar a sua moda?


¹ Que se considera ser de mau gosto ou não ter refinamento. De qualidade inferior.

domingo, julho 31, 2011

As vezes...2

Interessante... O título desse posto remete a um anteriormente escrito neste blog. E eu acho que as pessoas muitas vezes não notam os detalhes. Primeiramente o título do post: As vezes...
Não quis dizer que isso ocorre 100% do tempo ou das vezes. Criei amizades aqui que adoro muito, e tenho grande admiração. TODOS do ALLES, e não abro exceção...

Sei que estou errada em vários aspectos. Um deles, é o que venho me corrigindo: o fato de ser bastante cominicativa. É, estou aprendendo a calar a boca... Tenho que entender que estou em uma cultura diferente, que as pessoas são mais reservadas. E eu não sou...hehehe...Tenho que respeitar esse ponto de vista, e até a idéia de que quem muito fala, não tem nada a dizer. As pessoas não querem saber quem você é... no máximo se te acharem interessante, elas vão perguntar, aí será sua oportunidade de falar. Enquanto isso fico com os meus livros, meus estudos e minha vida.
Tive 3 comentários naquele post... todos os três me fieram pensar. Agradeço inclusive as críticas feitas. É bom saber que muitas não concordam com o meu ponto de vista e adoraria discutir pessoalmente com essas pessoas, mas é uma pena que o comentário foi anônimo... (pelo menos dou minha cara a tapa... mas não entrarei nesse mérito.).

Sabe, quando alguém me fala alguma coisa, qualquer coisa que seja, acredite, por mais que muitas vezes pareça que eu estou em outro planeta, eu vou guardar as palavras que escuto, assim como eu espero que façam quando profiro palavras. Eu sempre levei em consideração que quando se fala algo, não é a toa, e toda experiência é válida, e eu gosto de reparti-la com as pessoas. Também acredito que como as palavras, depois de proferidas não voltam, as pessoas devem pensar, sobre o que vão dizer então, mesmo que a crítica seja dura, ruim, ela COM CERTEZA tem algo que lhe servirá para repensar o seu jeito de ser.

As pessoas olham para mim, eu sempre tento ser a mais louca possivel e tomam as conclusões que querem tomar, sem ao menos ter uma conversa plausível, discutir sobre assuntos diversos. Não as culpo, meus amigos sempre me falaram que eu vivo entre a cruz e a espada, aquela velha máximo do "ou me ama ou me odeia". E sem meio termo, as pessoas me vêem e já tem uma opnião formada. Não transformá-las em um mártire por isso, só esperava que elas tentassem não criar um pré conceito sobre mim, o que é difícil, pois somos taxados pelos rótulos que a sociedade nos impõem.

Em todo o caso, agradeço imensamente pela dica, e acredito, ela vai ficar guardada e se quiser enumerar todas as atitudes que acha inconveniente, prometo colocá-las em uma balança.

Agora coloque algumas em uma balança:

Ser sincero com as pessoas é bom, alivia tensões, esclarece as coisas e falar na cara é melhor ainda, pois isso dá a chance das pessoas de conversarem, esclarecer desavenças e muitas vezes criarem laços de amizade e confiança.

Prefiro a verdade, por mais horrível que ela possa parecer, do que a mentira, mesmo que agradável aos olhos, ouvidos e coração, pois essa última nã durará muito e a decepção que se instaurará depois, será muito mais cruel.

Ninguém é dono da verdade, as pessoas são donos de opniões e pontos de vistas dispersos. Cada pessoa tem a sua idade em experiência, eu tenho 22 anos, se eu puder passar uns 5 anos dessa experiência para alguém e essa pesso puder passar a mesma quantia ara mim, acrescentarei 5 anos a minha vida em experiência adquirida.

Nunca crie um julgamento antecipado das pessoas sem ter divido com elas no mínimo um dia de dialogos. Se não você estará sempre equiocada ao seu respeito.

Acho que por enquanto é só...
Fica a dica!

terça-feira, julho 26, 2011

Espírito das Leis

Estou lend novamente "O Espírito das Leis" de Montesquieu.
Agora estou marcand as partes interessantes e fazendo minhas anotações, para quem sabe em um futuro próximo eu possa utlizá-las para o bem da humanidade.

Logo no Prefácio do Livro me deparei com uma frase interessante:

"Examinei, a principio, os homens, e julguei que, nesta infinita diversidade de leis e de costumes, eles não eram guiados unicamente por suas fantasias"

O que nos guia no dia a dia?
Um governo?
Nossas idéias?
Nossos sonhos?
Nossos anseios? 
Um amor?
As perguntas?
A política?
A religião?
A arte?
A ciência?
O conhecimento?

O que é a realidade, ou o que é fantasia em nossos dias? Até aonde esse mundo virtual nos leva? Até quanto ficamos bitolados e os afastamos cada vez mais um dos outros? Quando pararemos de fazer perguntas sem resposta para tentar mudar a realidade? Quanto tempo demoraremos para acreditar que nosso sonhos podem ser verdades e conquistarmos eles?

Quanto mais ficaremos calados, sendo levados pela "onda", calados? Quanto tempo se passará até cair a máscara do sono infantil que tudo mudará em um passe de mágica? Quanto ainda aceitaremos a hipocresia social, onde um homem vale o que tem, e não pelo seu caráter? A justiça permanecerá eternamente cega para aqueles que roubam, do povo, da nação e consequentemente de si próprios?

Acreditar-se-á que existe céu e inferno, ou o paraíso sucumbirá e o purgatório erguerá mostrando que ambos estão na terra e que só existe AQUI e o tempo é AGORA!



sábado, julho 23, 2011

ATITUDE DE HONRA!! (VERÍCICO)

Milagre em Brasília...

Estreiou como o exemplo de político que eu mereço. E você, merece?

O deputado federal José Antonio Reguffe (PDT-DF), que foi proporcionalmente o mais bem votado do país com 266.465 votos, com 18,95% dos votos válidos do DF, estreou na Câmara dos Deputados fazendo barulho. De uma tacada só, protocolou vários ofícios na Diretoria-Geral da Casa.

Abriu mão dos salários extras que os parlamentares recebem (14° e 15° salários), reduziu sua verba de gabinete e o número de assessores a que teria direito, de 25 para apenas 9. E tudo em caráter irrevogável, nem se ele quiser poderá voltar atrás. Além disso, reduziu em mais de 80% a cota interna do gabinete, o chamado "cotão". Dos R$ 23.030 a que teria direito por mês, reduziu para apenas R$ 4.600.

Segundo os ofícios, abriu mão também de toda verba indenizatória, de toda cota de passagens aéreas e do auxílio-moradia, tudo também em caráter irrevogável. Sozinho, vai economizar aos cofres públicos mais de R$ 2,3 milhões (isso mesmo R$ 2.300,000) nos quatro anos de mandato. Se os outros 512 deputados seguissem o seu exemplo, a economia aos cofres públicos seria superior a R$ 1,2 bilhão.

"A tese que defendo e que pratico é a de que um mandato parlamentar pode ser de qualidade custando bem menos para o contribuinte do que custa hoje. Esses gastos excessivos são um desrespeito ao contribuinte. Estou fazendo a minha parte e honrando o compromisso que assumi com meus eleitores", afirmou Reguffe em discurso no plenário.

Quantos Tiriricas, Popós, Romarios, e os outros muitos "parasitas" poderiam seguir este exemplo????

 Repasse  a quem você puder, pois a dignidade deste Sr. José Antonio Reguffe é respeitável, louvável e exemplar, senão diria, atitude raríssima no nosso meio político!

Mais informações na ISTO É:

http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/104706_UM+HOMEM+FICHA+LIMPA

quinta-feira, julho 21, 2011

Cade o gato????

Pior que tem…. Rsrsrsrsrsrs
Clique na Imagem para ampliar... amanhã dou a resposta.....


 


segunda-feira, julho 18, 2011

Profundo...

Ontem, minha esposa e eu estávamos sentados na sala, falando das muitas coisas da vida.
Falávamos de viver ou morrer. Então, eu lhe disse:

 -Nunca me deixe viver em estado vegetativo, dependendo somente de uma máquina e líquidos. Se você me vir nesse estado, desligue tudo o que me mantém vivo, por favor!

 Ela se levantou, desligou a televisão, o computador , o ventilador e jogou minha cerveja fora.
(Autor Desconhecido)

Esse eu recebi por e-mail da Ozélia...abraços

quarta-feira, julho 13, 2011

O Troco da Dor

Esse é um ofício encaminhado por um professor.

Foi a resposta dele a um ofício encaminhado por acadêmicos.
Não vou entrar no mérito, apenas vi como o desabafo de um mestre.
Muitos acadêmicos não fazem o curso que realmente gostam, fazem o que seus pais querem para eles, ou pior, o que apenas possa servir para lhe trazer bons proventos futuros. Mas não levam realmente a sério o seu próprio futuro. Não valorizam o conhecimento, apenas querem saber quanto lhes renderá o labor ao final de cada mês. Esses critérios estão invertidos. Os valores estão invertidos. O Professor está em uma sala de aula, não apenas para "vomitar" a matéria sobre dos alunos, como muitos querem, ele está ali para trazer respostas. Mas, respostas as quais perguntas se muitos nem se interessam pelo que está sendo lecionado...

Vi que muitos se sentiram ofendidos então vou retirar a referência aos nomes, substituindo os dois nomes contidos no texto por "A" e "B".

BLUMENAU 07 DE JULHO DE 2011.

Ref. Ofício 029/2011

SENHOR DIRETOR DO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS,

Sei que respondo, eventualmente, em prazo superior aos cinco dias firmados (creia-me, caro diretor, isso para mim é irrelevante!). Para lhe ser sincero, "A", eu sequer iria responder a esse ofício, pois seria discutir Aristóteles com crianças de três anos que, ausentes na sua condição pueril, olham espantadas para os lados, apalpando-se nas fraldas sem perceber que o cheiro provém de suas mentes entupidas de arrogância.

Entretanto, quero crer que você, *"A", é uma das pessoas que merecem respeito e resposta, pois sempre obrou com seriedade nas suas funções (ao menos, é essa a impressão que carrego comigo!). E, portanto, respondo em sua homenagem, como um Schopenhauer outsider que, advertindo contra o perigo da boçalidade nas academias, se vê no ocaso de renovar sua postura, tal qual Jonas no ventre do grande cetáceo.

Em primeiro lugar (agora faço referência ao tal ofício 29/2011), quais seriam os alunos que se queixaram, sentindo-se imensamente prejudicados? Seriam os reprovados? Aqueles que, nada obstante toda sorte de possibilidades disponibilizadas, ignoraram arrogantemente a mão estendida, preferindo reclamar e se esconder, entre muxoxos e chorinhos, em um clubinho?

Seriam esses mesmos que, faltosos empedernidos, reclamam agora a frequência que não cumpriram, posando de vítimas quando são seus próprios algozes e responsáveis pelo abismo que mergulharam?

Vou usar um exemplo – não é o único, mas é peculiar -, o signatário do tal ofício chegou atrasado na última prova, quando já não era possível admitir retardatários eis que outros alunos já haviam deixado o local de prova por tê-las terminado. A pergunta foi: o senhor ainda me aceita (no sentido de permitir que eu franqueasse o acesso à sala e à prova)? Pois bem, permiti, possibilitando a esse menino, "B", que fizesse a prova sem o qual estaria reprovado!

Estará então o "B" compondo esse grupo de infantes e angelicais bebês tão prejudicados por este professor, o qual comete o imperdoável crime de lembrar a eles que para aprender tem que estudar?!!!

O plano foi totalmente cumprido, "A"... mas, "pera lá"!!! Este modesto escriba é professor há 21 anos.. vou repetir, professor, e não babá! Não tenho tempo nem paciência com meliantes do saber – os que fingem saber fingindo aprender!

Universal no seu valor, individual no seu conteúdo, o sentido do ensino é encontrado mediante uma tenaz investigação na qual o aluno, com a ajuda (e não substituição!) do professor, busca uma resposta à seguinte pergunta: Que é que eu devo fazer e que não pode ser feito por ninguém, absolutamente ninguém exceto eu mesmo?

O mínimo que se espera de um aluno mediano é que leia... que tenha um quase nada de empenho... e que traga suas dúvidas para serem debatidas e devidamente esclarecidas. Sabe, "A", quantas vezes isso ocorreu? Muito poucas e mesmo quando aconteceu, partiu das honrosas exceções – perceba! A UNIVERSIDADE não está extinta, está perdida! -, alunos (uns 4 ou 5 em salas de 40) que realmente estão no caminho certo (deixo de nomeá-los pois não quero fazer proselitismo) e cujas carreiras ainda haverão de ter a luminosidade inconfundível do mérito.

Mas, como você sabe, chocados com a realidade que os afronta, esses outros ineptos decidem o anonimato, perseverando nessa "casa de bonecas" intitulada DIRETORIO ACADEMICO, onde meninos e meninas projetam-se equivocadamente como adultos que jamais serão! Perdendo o senso de ridículo já não percebem que perderam-se a si mesmos. Uma urbe de cegos, que em um pomposo cotejo de cegos, guiam outros cegos para o abismo.

É a velha discussão que trouxe à lume alhures no texto "Processo Invertido". Essa "grita" incessante de direitos, direitos, direitos e nada de deveres! Essa medéia vingativa que torna obtusa a mente destes pequenos perversos, os quais, como dervixes bêbados, já não oram, apenas giram por girar!

Para finalizar, deixo algumas perguntas à prestos que faço em homenagem ao meu professor maior, Olavo de Carvalho!

Perguntemos se a exaltação histérica do senso dos próprios direitos contra a "sociedade má" – in casu, este professor que se importa com esses fedelhos – não leva cada homem a ignorar solenemente os direitos dos outros. É esse tipo de gente, "A", que vamos permitir ser forjado no ventre DESTA UNIVERSIDADE???

Perguntemos se cada indivíduo, adestrado para considerar-se vítima, não desenvolve no fundo do seu coração aquela autocomplacência rancorosa que acabará de fazer dele um carrasco.

Maquiavel já ensinava: para o fraco, é melhor parasitar o forte que combatê-lo. Então esses meninos, malfeitos que estão, preferem escalar rapidamente a tribuna dos acusadores par não cair no banco dos réus.

Vá "A", ensine a esses moços – como eu fiz! A conhecerem-se a si próprios (a consciência não é a mão que leva a arma à cabeça, mas certamente é a que aperta o gatilho!). Faça-os perceber o vórtex em que se inocularam: quanto mais hipnotizado estiver um homem, menos poderá ver na hipnose mesma a origem dos desatinos que ela o induz a cometer, e mais se inclinará a descarregar suas culpas inconscientes sobre o primeiro bode expiatório que o hipnotizador sugira. A autopersuação delirante se fecha sobre si mesma, num círculo perfeito.

E não falo somente desse aglomerado perverso (essa fraternidade de caserna acadêmica) que, gritando incessantemente de direitos, vicia os alunos de tal forma que já não têm eles condição de discernir entre o certo e o errado, mas também de alguns profissionais da área do ensino do direito, cuja moral e credibilidade estão atreladas à máxima: la garantia soy jo!

O ensino torna-se assim um emprego, um papel social, e a seleção dos candidatos nada exige em matéria de condições morais, espirituais ou psicológicas: desde que passe no concurso, um esquizofrênico, um farsante, um demagogo, um assassino ou um mentiroso compulsivo pode agora adornar-se do título que um dia significou "professor de educação" – ao entrar na universidade, esse professor é um joão-ninguém; ao sair, é um joão-ninguém com diploma e sem alma.

Pense bem, todo povo, se não está doente de vaidade, quer mestres que o eduquem, não puxa-sacos que o cortejem! Se os bons professores não forem ativados e valorizados ontologicamente, ou seja, pelo seu valor em si, a inteligência desses garotos, já quase inominável nesses termos, sem a capacidade de captar o nexo simbólico que dá por assim dizer carne e sangue às abstrações, restarão dispersados num formalismo oco, numa combinatória alucinante de silogismos vazios, num verbalismo pedante que traduz apenas a impotência de conhecer.

Se não me é permitido combater esse vício, opto por permanecer à margem desse mundo condenado, escolhendo a solidão e ficando, assim, com a melhor parte.

Essa é minha manifestação. Espraie esse dizer nãos aos poucos queixosos, mas a todos os pais desses mesmos e também a todos os pais dos alunos da UNIVERSIDADE. Quando os argumentos fermentarem naqueles que prezam os valores fundamentais observarás, certamente, o grito primevo desses mesmos pais: vão estudar, moleques!

Portanto, "A", esta é minha obra. Se ela servir para mostrar a uns o caminho da independência e a outros a porta da rua, terá cumprido sua missão!

Atenciosamente, Stephan Klaus Radloff.



segunda-feira, julho 11, 2011

Orientador

O Mestrado
 
Num lindo dia ensolarado o coelho sai de sua toca com seu laptop e põe-se a trabalhar, bem concentrado. Pouco depois passa por ali uma raposa e vê o coelhinho suculento tão distraído com seu trabalho. No entanto ela fica intrigada com o coelh...o trabalhando tão arduamente.
 
Então a raposa aproxima-se do coelho e pergunta:
 
- Coelhinho, o que você está fazendo tão concentrado?
 
- Estou redigindo a minha tese de doutorado - diz o coelho sem tirar os olhos do laptop.
 
- Mmm. . . E qual é o tema da sua tese?
 
- Ah! É uma teoria provando que os coelhos são os verdadeiros predadores de raposas.
 
A raposa fica indignada:
 
- Oras! Isso é ridículo! Nós é que somos os predadores dos coelhos!
 
- Absolutamente! Venha comigo à minha toca e eu te mostro a minha prova experimental.
 
O coelho e a raposa entram na toca. Poucos instantes depois ouve-se alguns ruídos indecifráveis, alguns poucos grunhidos e depois silêncio. Em seguida o coelho volta, sozinho, e mais uma vez retoma os trabalhos da sua tese como se nada tivesse ocorrido.
 
Meia hora depois passa um lobo. Ao ver o apetitoso coelhinho tão distraído agradece mentalmente à cadeia-alimentar por estar com o seu jantar garantido. No entanto, o lobo também acha muito curioso um coelho trabalhando tão concentrado. O lobo então resolve saber do que se trata aquilo tudo antes de devorar o coelhinho:
 
- Olá jovem coelhinho. O que o faz trabalhar tão arduamente?
 
- Minha tese de doutorado, seu lobo. É uma teoria que venho desenvolvendo há muito e prove que nós, coelhos, somos os grandes predadores naturais de vários animais carnívoros, inclusive dos lobos.
 
O lobo não se contem e farfalha em risos da petulância do coelhinho.
 
- Ah ah ah ah! Coelhinho! Apetitoso coelhinho! Isto é um despropósito. Nós os lobos é que somos os genuínos predadores naturais dos coelhos, aliás. . .
 
- Desculpe-me, mas se você quiser eu posso te apresentar a minha prova experimental. Você gostaria de acompanhar-me à minha toca?
 
O lobo não consegue acreditar na sua boa sorte. Ambos desaparecem toca adentro. Alguns instantes depois ouvem-se uivos desesperados, agonizantes, ruídos de mastigação e. . . Silêncio. Mais uma vez o coelho retorna sozinho, intacto, e volta ao árduo trabalho de redação da sua tese de doutorado, como se nada tivesse acontecido. . .
 
Dentro da toca do coelho vê-se uma enorme pilha de ossos ensangüentados e pelancas de diversas ex-raposas e, ao lado desta, outra pilha ainda maior de ossos e restos mortais daquilo que um dia foram lobos. Ao centro das duas ilhas de ossos vê-se um enorme Leão, satisfeito, bem alimentado, sonolento, a palitar os dentes.
 
Moral Da Estória:
 
Não importa quão absurdo é o seu tema de tese.
 
Não importa se você não tem o mínimo fundamento cientifico.
 
Não importa se os seus experimentos nunca provam a sua teoria.
 
Não importa nem mesmo se as suas idéias vão contra o mais óbvio do bom senso. . .
 
O que importa é Quem É O Seu Orientador!
 

sexta-feira, julho 01, 2011

quinta-feira, junho 30, 2011

segunda-feira, junho 27, 2011

Desafio!

Tava a um tempo sem aparecer, mas como quem é vivo sempre aparece, olha eu por aqui, e vim por dois motivos:
1. férias da faculdade
2. Recebi um desafio do Blog Momentos...

Então vamos lá responder ao desafio:

1. Quantos livros nacionais há na sua estante?
(comecei a me arrepender, vou ter que ficar contando livros...mas como que quem está na chuva é para se molhar...)Na estante tem 10, agora, encaixotado que eu eu ainda não tive tempo, tampouco espaço, deve ter bem mais...

2. Quando e qual foi o último livro nacional que você comprou?
Acho que o último foi de Malba Tahan, O Homem que Calculava, foi em 2009, mas ganhei dois de presentes esse ano...E peguei alguns na Bibliotca da Faculdade.

3. Qual foi o último livro nacional que você leu?
To no meio do "Para entender Kelsen" do Fábio Ulhoa Coelho.

4. O que achou dele?
Didádico, como sempre é os livros do Fábio. Está me ajudando muito em leituras complementares que venho fazendo para o meio acadêmico.

5. Dentre os livros nacionais que você já leu, qual mais te desagradou e qual mais te surpreendeu?
Nenhum me desagradou, cada um tem sua peculiaridade, e a literatura nacional não é ruim, mas pouco explorada.
Quanto a me agradar, eu fico com Malba Tahan, esse livro é divino, eu já havia lido, dei ele de presente e comprei outro para mim. Muito bom mesmo.

6. O que acha que falta aos autores nacionais para que a barreira do preconceito dos leitores seja vencida?

Não falta nos autores, falta na população. Afinal, a educação é sempre deixada de lado.

7. Cite três livros nacionais que você espera ler em breve:
Quero terminar o que estou lendo. Tenho interesse em ler Almyr Klink, mas essas leituras fora do contexto da faculdade provavelmente ficarão para quando eu acabar o curso. Até lá são muitos livros nacionais a serem lidos, mas todos no ambito acadêmico.

8. Indique 5 blogs para responder a esse desafio:

Essa parte é difícil, mas vamos lá:
Maurício Morais
Mirelly
Jaques
Tertuliano
...a vá... 4 já está de bom tamanho...