segunda-feira, janeiro 25, 2010

Pensamentos

Photobucket

Se um dia, enquanto a brisa fresca do mar chega até você, o sol tocar seus lábios, saberá o que eu estou sentindo. É um doce suave destino incerto, e um calor ardente do presente.

Quero viver cada dia, quero aproveitar cada segundo com você, quero amar, te ver sorrir, te fazer feliz. Mas também quero fazer planos para um futuro que não existe, que a mim não pertence. Que eu nem consigo imaginar.

Não me deixe ir além desse momento, posso me perder em desejos insanos. Posso me afogar em um mar e nadar até o mais profundo vale, e não quero descobrir que não há vida, que não há pérolas. Não me deixe sair da aréia, não sozinha.

Se for sozinha, sei que chegarei mais rápido, mas se formos juntos, chegarei mais longe. Não quero ter medo de sonhar, mas não quero mais ter pesadelos. Me sinto insegura, mas quando pega em minha mão, sensações que eu não conhecia brotam em meu coração e atravessam estações.

Minhas asas a muito amarradas agora se abrem querendo voar. Eu me seguro enquanto o vento tira a umidade das penas enxarcadas pelo meu longo choro. Consigo ver o arco-íris se formar por entre as nuvens, mas descobri que não há pote de ouro no final das lindas cores.

Deixei o passado para trás, mas trago as cicatrizes comigo. Sei que elas ficaram ali para me lembrar quem eu sou e dos monstros que devoraram a minha inocência, mas não conseguiram atingir minha sede de vida e eu vivo cada dia mais intensamente que o momento anterior, cada vez mais longe, mas alto, mais possível.

Vou andar por aí sem rumo, vou brincar na chuva, quero sentir as gotas me enchendo de esperança. Quero pegar a estrada para um lugar onde não exista hipocresía, onde a moral seja mais importante do que o dinheiro, e onde ao sol despertar no horizonte supra todos os buracos deixados pela solidão.

Ao pegar a estrada será um caminho sem fim, voltando quando a saudade dizer que é hora para isso, e explorando cada centímetro do mundo, em uma busca por uma felicidade palpável. É muito mais fácil desistir do que seguir em frente, é muito mais insano se levantar depois de uma queda do que continuar rastejando.

Não posso ser uma pessoa além de mim, posso até usar máscaras para tentar disfarçar quem eu sou. E se por muito tempo em minha face permanecer, posso até esquecer quem era a pessoa que um dia colocou algo para tampar a esperança. Mas um dia essa máscara cairá e assim verão como sofri, enquanto aguardava que as restias do luar ultrapassasem as barreiras.

Não quero perder mais nem um segundo do meu tempo tentando imaginar como seria. Quero ser, farei ser, me esforçarei para alcançar mais do que o inalcançável, sei que para você pode parecer somente ilusão e devaneio de uma mente esperançosa, mas eu sei, eu sinto em mim que podemos mudar tudo. Não sou louca, mas ainda não sei aonde é o fim das minhas forças e enquanto eu não alcança-las eu não deixarei nada me impedir de chegar ao que é perfeito.

A vida é uma tela em branco, está ali, pedindo para lhe darmos cores. Ela precisa ser preparada, ela precisa ser lixada, para então receber as tintas e ganhar forma, se desistirmos antes disso o mundo nada teria e eu amo o colorido. Quero acordar amarelo, sorrir o verde, brincar o azul, sonhar o roxo, ouvir o laranja, dormir o vermelho e que a presença e a ausência se completem no final.

Temo o próprio medo, mas que isso não me impessa de ser uma pessoa melhor. De ajudar as pessoas que amo tanto, de me intregar novamente. Sinto que ainda não consigo deixar a sombra para alcançar a luz. Estou dentro da caverna vendo pela parede, não me atrevo a virar novamente, mas por querer, penso em tentar, mas precisarei que me chame para eu despertar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário